AV. ASSIS BRASIL, 8787, SARANDI, PORTO ALEGRE-RS | CENTRAL DE ATENDIMENTO 0800 51 8555 

Você está aqui

Para FIERGS, fatores estruturais impedem maior redução nos juros

Economia e Negócios

A Federação das Indústrias do Rio Grande do Sul (FIERGS) considera que a manutenção da taxa Selic em 6,50% ao ano, anunciada nesta quarta-feira (1º) pelo Comitê de Política Monetária (Copom), se deu pelo fato de existirem fatores estruturais que pesam sobre a manutenção da taxa em nível elevado. “Reduzir a taxa de juros ajudaria muito na recuperação econômica, por isso, lamenta-se que os juros não tenham caído mais. Sabemos, contudo, que enquanto o país não solucionar os riscos fiscais, é difícil conceber juros mais civilizados”, afirma o presidente da entidade, Gilberto Porcello Petry.

Segundo Petry, a greve dos caminhoneiros foi um choque sobre a inflação, mas que deve se dissipar ao longo do ano, e não houve qualquer reversão da tendência dos preços que justificasse outro caminho. Para o presidente da FIERGS, com a economia desaquecida e a taxa de inflação estável, não há motivo para a elevação da taxa de juros no curto prazo.