AV. ASSIS BRASIL, 8787, SARANDI, PORTO ALEGRE-RS | CENTRAL DE ATENDIMENTO 0800 51 8555 

Você está aqui

Presidente da FIERGS propõe continuidade das reformas que tornam o Brasil mais competitivo

Indústria e Desenvolvimento

O presidente da FIERGS, Gilberto Porcello Petry, foi o palestrante no evento que encerrou as comemorações de 25 anos da Associação Brasileira das Indústrias de Máquinas para Couro e Calçados (Abrameq) e do Sindicato da Indústria de Máquinas e Implementos Industriais e Agrícolas de Novo Hamburgo e Região (SinmaqSinos), nesta terça-feira (28). Petry observou que “também sou fabricante de máquinas e sei bem das dificuldades deste setor, que normalmente é o primeiro a sentir os efeitos das crises e o último a sair”. Destacou que 30% dos setores industriais gaúchos já mostram sinais de recuperação, mas o tempo de cada setor é diferente para vencer seus desafios.

O presidente da FIERGS salientou alguns aspectos que considera importantes nesse seu início de gestão. “Foram apenas quatro meses, mas um tempo de momentos muito importantes, como a modernização da legislação trabalhista, fundamental para o desenvolvimento e a valorização do trabalho”, disse. Citou o 35º Encontro Econômico Brasil-Alemanha, realizado em  novembro e que marcou um novo patamar nas relações empresariais brasileiras com os alemães. Lembrou ainda as vindas dos ministros da Fazenda, Henrique Meirelles; e do Trabalho, Ronaldo Nogueira, que proferiram palestras na FIERGS.

Petry alertou que será preciso redobrar a atenção e as ações da FIERGS em 2018, considerando ainda que será ano de eleições, e para questões que afetam a competitividade de quem produz. “A Reforma da Previdência é indispensável. Queremos viver mais, mas este bônus vem acompanhado de um ônus, que exige atualização das regras”, afirmou.

Outra mudança apontada como urgente é a Reforma Tributária, que exige muito diálogo, e a necessidade de que a carga de tributos seja reduzida. Observou que enquanto no Brasil ela atinge 40% do PIB, no Chile é de apenas 20%.  Petry defendeu ainda a tomada de medidas que destravem e reduzam o custo do crédito para a atividade produtiva. Para o Rio Grande do Sul, pediu o fim do Piso Regional e a modernização da infraestrutura.

Antes da palestra, foi realizada a assembleia que elegeu os conselhos de Administração e Fiscal da Abrameq para o biênio 2018/2019. Marlos Schmidt (da empresa Erps) foi escolhido para o seu quarto mandato na presidência da entidade. Atendendo ao disposto no estatuto da Abrameq, Marlos indicou seus vice-presidentes: André Nodari (NBN), Dieison Schmidt (Exclusive), Heitor Schreiber (BKS) e Taironi Fensterseifer (Kunden).


Crédito foto: Enir Grigol