AV. ASSIS BRASIL, 8787, SARANDI, PORTO ALEGRE-RS | CENTRAL DE ATENDIMENTO 0800 51 8555 

Você está aqui

economia

“O Brasil vive um momento de grandes desafios, mas, pela primeira, eu vejo os problemas serem postos na mesa para debate, como a questão fiscal, o problema da previdência, a qualidade e o custo do setor público no Brasil, que onera a sociedade sem entregar os benefícios que ela espera. Quem sabe dessa vez, com esse debate, consigamos enfrentar os grandes problemas e retomar uma trajetória de crescimento sustentável”.
Quem primeiro percebe o ponto de inflexão na economia ou em determinado segmento específico com uma visão crítica do cenário político e geopolítico certamente sairá na frente. Assim o economista Roberto Dumas Damas define a melhor forma para ver oportunidades na crise. O tema será amplamente discutido durante os dias 7 e 8 de novembro no Programa de Educação Executiva do Instituto Euvaldo Lodi (IEL-RS). Neste ano, a parceria será com a escola empresarial Insper, de São Paulo, e ocorre no Vila Ventura Ecoresort, em Viamão.
 
No encerramento do 34º Encontro Econômico Brasil Alemanha (EEBA), na terça-feira (18), na cidade de Weimar, o presidente da Confederação Nacional da Indústria (CNI), Robson Braga de Andrade, reiterou o pedido de agilidade para o fechamento de um acordo de zona de livre comércio entre o Mercosul e a União Europeia.
A expectativa para a próxima edição do Encontro Econômico Brasil-Alemanha (EEBA), que se realiza em novembro de 2017, em Porto Alegre, na sede da Federação das Indústrias do Rio Grande do Sul, é a de receber 2 mil participantes. O evento é um dos mais importantes da agenda entre os dois países e a previsão é de até US$ 10 milhões em negócios e 200 reuniões bilaterais.
O 34º Encontro Econômico Brasil Alemanha (EEBA) começou nesta segunda-feira (17), em Weimar (ALE), reunindo líderes políticos e empresariais que em dois dias de debates e encontros de negócios buscam estimular o desenvolvimento comercial e a cooperação financeira entre ambos os países. O presidente da Confederação Nacional da Indústria (CNI), Robson Braga de Andrade; e o presidente da Federação das Indústrias do Rio Grande do Sul (FIERGS), Heitor José Müller, lideram uma missão empresarial ao EEBA.
O Índice de Confiança do Empresário Industrial (ICEI-RS) aumentou 2,7 pontos em setembro, e atingiu 55,4, o maior valor desde março de 2013. O resultado manteve a trajetória de crescimento na expectativa do empresário gaúcho, comprovada pela elevação de 15,9 pontos desde maio.
“A decisão do Banco Central já era esperada, pois na última reunião o Copom apontou a necessidade de a política fiscal se tornar mais austera antes de movimentos nos juros.
A Sondagem Industrial de junho, divulgada nesta quinta-feira (28) pela Federação das Indústrias do Rio Grande do Sul (FIERGS), revela uma retração no ritmo de queda e aponta a uma perspectiva de demanda que começa a se tornar positiva para os próximos meses. A perda na produção (48 pontos) foi a menos intensa registrada no mês desde 2010 e o emprego (44,7) sugere que a redução de postos de trabalho no setor é semelhante à de maio, mas inferior aos mesmos períodos em dois anos no Estado.
 
O cenário de crise econômica no Brasil, que torna o crédito mais caro e restrito e, consequentemente, cria grandes entraves para a obtenção de capital de giro, aumentou o endividamento e as dificuldades financeiras das empresas gaúchas.
 
"Entendemos e apoiamos a preocupação do Copom com a queda na taxa de inflação. Entretanto, a recessão já atinge a produção industrial gaúcha, com queda de 9,5% nos últimos 12 meses e, ao final de 2016, serão três anos consecutivos de queda.