AV. ASSIS BRASIL, 8787, SARANDI, PORTO ALEGRE-RS | CENTRAL DE ATENDIMENTO 0800 51 8555 

Você está aqui

exportações

As exportações do Rio Grande do Sul em abril totalizaram US$ 1,66 bilhão, uma retração de 4,4% ante o mesmo período de 2013. O resultado negativo foi puxado pelo setor industrial, que respondeu por 58,3% do total embarcado e teve um recuo de 18,8%. Parte da explicação se deve ao efeito do calendário 2014: o mês registrou dois dias úteis a menos em comparação com o ano anterior. Porém, na comparação da média diária dos valores exportados pelo setor secundário nos dois períodos, houve queda de 10,6%. "O desempenho ruim se repete, já havíamos fechado o trimestre com queda de 0,9%.

Empresas interessadas em ampliar negócios visando ao mercado externo participaram, nesta quinta-feira, do Encontro Rumo à Exportação, uma parceria da Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil) com a Federação das Indústrias do Rio Grande do Sul. Além de acompanhar palestras com orientações sobre comércio exterior, as 123 empresas se reuniram na FIERGS em rodadas trading com 15 companhias que prestam assessoria em operações internacionais de compra e venda.

Mesmo com a desvalorização média da taxa de câmbio em 18,5% entre janeiro e março deste ano, as exportações no Rio Grande do Sul caíram 8% no primeiro trimestre, em comparação ao mesmo período de 2013. Alcançaram US$ 3,25 bilhões. O resultado, divulgado nesta segunda-feira (14) pela Federação das Indústrias do Rio Grande do Sul (FIERGS), revela que o desempenho ruim tanto de produtos básicos (queda de 42,4%, especialmente trigo e milho), quanto da indústria (-0,9%), pesaram negativamente.

As exportações do Rio Grande do Sul somaram US$ 1,02 bilhão em fevereiro, o que representou uma queda de 5,8% ante o mesmo período de 2013. "Este resultado é preocupante, pois ocorreu em um mês com fatores positivos, tais como dois dias úteis a mais e uma desvalorização média do câmbio de 20,8%. Essa falta de competitividade dos nossos produtos tem gerado a perda de importantes mercados no exterior", destacou o presidente da Federação das Indústrias do Rio Grande do Sul (FIERGS), Heitor José Müller. O saldo da balança comercial ficou negativo em US$ 530 milhões.

As exportações do Rio Grande do Sul somaram US$ 1,1 bilhão em janeiro, o que representou um crescimento de 4% ante o mesmo mês de 2013. O resultado positivo foi puxado pela expansão da indústria gaúcha (21,3%), totalizando US$ 1,04 bilhão. Já os produtos básicos tiveram uma queda de 85,3% e atingiram US$ 21 milhões, sendo que o arroz foi a principal mercadoria embarcada.

As exportações do Rio Grande do Sul totalizaram US$ 25,1 bilhões em 2013, significando um crescimento de 44,3% em comparação com 2012. Esse avanço foi determinado pela contabilização como venda externa de três plataformas de petróleo e gás, que também levaram o resultado do setor industrial a um incremento de 36,8% (US$ 19,7 bilhões).

A contabilização de mais uma plataforma de petróleo e gás (P-58) como exportação, a terceira no ano, fez os embarques do Rio Grande do Sul crescerem 119,8% em novembro, em relação ao mesmo mês do ano passado, totalizando US$ 2,61 bilhões. A mesma influência ocorreu no setor industrial, que teve uma expansão de 123,5% nas vendas externas e somou US$ 2,5 bilhões. "O valor de exportação da plataforma pouco reflete a real situação do segmento exportador.

A contabilização de uma plataforma de petróleo e gás (P-55) para a Holanda como exportação fez os embarques do Rio Grande do Sul crescerem 157% em outubro, em relação ao mesmo mês do ano passado, totalizando US$ 3,8 bilhões. A mesma influência ocorreu no setor industrial, que teve uma expansão de 143,2% nos embarques e somou US$ 3,5 bilhões. "Convém destacar que, se essa operação fosse desconsiderada, o incremento da indústria seria de 8,8%.

Avanço foi impulsionado pelas vendas do setor primário

As exportações gaúchas cresceram 24,6% no terceiro trimestre, na comparação com o mesmo período do ano passado, e totalizaram US$ 6,35 bilhões, ficando acima da média nacional (-0,2%). O grande destaque ficou por conta dos produtos primários, em especial soja, com incremento de 101,4%, atingindo US$ 1,95 bilhão.

As exportações da indústria gaúcha caíram -1% em agosto, na comparação com o mesmo período do ano passado, e somaram US$ 1,36 bilhão. O resultado interrompeu uma sequência de quatro meses de alta. O setor também diminuiu sua participação na pauta das vendas externas do Estado, passando de 75,2% para 57,6%, do total de US$ 2,36 bilhões. "Apesar da queda pontual, as condições para as exportações da indústria são melhores do que em 2012, com uma taxa de câmbio mais desvalorizada e demanda mais robusta da Argentina e dos Estados Unidos.