AV. ASSIS BRASIL, 8787, SARANDI, PORTO ALEGRE-RS | CENTRAL DE ATENDIMENTO 0800 51 8555 

Você está aqui

exportações

As exportações do Rio Grande do Sul totalizaram US$ 25,1 bilhões em 2013, significando um crescimento de 44,3% em comparação com 2012. Esse avanço foi determinado pela contabilização como venda externa de três plataformas de petróleo e gás, que também levaram o resultado do setor industrial a um incremento de 36,8% (US$ 19,7 bilhões).

A contabilização de mais uma plataforma de petróleo e gás (P-58) como exportação, a terceira no ano, fez os embarques do Rio Grande do Sul crescerem 119,8% em novembro, em relação ao mesmo mês do ano passado, totalizando US$ 2,61 bilhões. A mesma influência ocorreu no setor industrial, que teve uma expansão de 123,5% nas vendas externas e somou US$ 2,5 bilhões. "O valor de exportação da plataforma pouco reflete a real situação do segmento exportador.

A contabilização de uma plataforma de petróleo e gás (P-55) para a Holanda como exportação fez os embarques do Rio Grande do Sul crescerem 157% em outubro, em relação ao mesmo mês do ano passado, totalizando US$ 3,8 bilhões. A mesma influência ocorreu no setor industrial, que teve uma expansão de 143,2% nos embarques e somou US$ 3,5 bilhões. "Convém destacar que, se essa operação fosse desconsiderada, o incremento da indústria seria de 8,8%.

Avanço foi impulsionado pelas vendas do setor primário

As exportações gaúchas cresceram 24,6% no terceiro trimestre, na comparação com o mesmo período do ano passado, e totalizaram US$ 6,35 bilhões, ficando acima da média nacional (-0,2%). O grande destaque ficou por conta dos produtos primários, em especial soja, com incremento de 101,4%, atingindo US$ 1,95 bilhão.

As exportações da indústria gaúcha caíram -1% em agosto, na comparação com o mesmo período do ano passado, e somaram US$ 1,36 bilhão. O resultado interrompeu uma sequência de quatro meses de alta. O setor também diminuiu sua participação na pauta das vendas externas do Estado, passando de 75,2% para 57,6%, do total de US$ 2,36 bilhões. "Apesar da queda pontual, as condições para as exportações da indústria são melhores do que em 2012, com uma taxa de câmbio mais desvalorizada e demanda mais robusta da Argentina e dos Estados Unidos.

As exportações do Estado totalizaram US$ 1,87 bilhão em julho, o que representa um crescimento de 5,9% ante o mesmo mês do ano passado. O desempenho, superior à média nacional (- 0,9%), foi puxado principalmente pelo aumento nas vendas de máquinas agrícolas e insumos para a Argentina.

Oportunidades na América Latina para Exportações do Rio Grande do Sul foi o tema da palestra proferida, nesta terça-feira, na FIERGS, e quarta-feira, no Centro de Atividades

do Sesi, em Caxias do Sul. A assessora da Inteligência Comercial da Agência de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil), Camila Orth, mostrou os

indicadores macroeconômicos dos países latino americanos, colocando em destaque aqueles que se apresentam como boas alternativas para o incremento das relações comerciais.

As exportações do Estado somaram US$ 11,2 bilhões no primeiro semestre, representando um crescimento de 30,9% na comparação com o mesmo período de 2012. Este resultado está na contramão do total do Brasil, que apresentou uma contração de -2,4%. Um dos motivos desse forte aumento das vendas externas gaúchas foi o incremento de 70,1% nos embarques das commodities agrícolas devido à boa safra de grãos e à base de comparação deprimida, consequência da seca no ano passado.

As exportações do Rio Grande do Sul totalizaram US$ 2,27 bilhões em maio, o que representa um crescimento de 34,8% na comparação com o mesmo mês de 2012. Esse resultado contrasta com a média brasileira, onde houve queda de -6%, e fez com que o Estado aumentasse sua participação na pauta nacional em 3,2 p.p., saindo do 6º para o 3º lugar.

As exportações do Rio Grande do Sul cresceram 33% em abril, na comparação com o mesmo mês de 2012, e somaram US$ 1,73 bilhão. Um resultado bem acima da média brasileira (5,4%). O avanço no Estado foi puxado principalmente pelas commodities (soja e milho), que registraram elevação de 112,9% (US$ 530 milhões) devido às vendas de soja para a China.