AV. ASSIS BRASIL, 8787, SARANDI, PORTO ALEGRE-RS | CENTRAL DE ATENDIMENTO 0800 51 8555 

Você está aqui

cultura

O Teatro São Carlos, de Caxias do Sul, será o palco da grande final do Sesi Música, que ocorre neste sábado (19), a partir das 18h. As 16 canções apresentadas representarão as seis regionais do Prêmio Sesi Descobrindo Talentos realizadas entre agosto e setembro no Rio Grande do Sul. A melhor interpretação e música inédita estarão na grande final, em Brasília, que ocorre em novembro. A comissão julgadora é formada por Veco Marques, Theddy Correa e Tiago Flores.

Neste sábado (12) e domingo (13), as últimas concorrentes do Sesi Música serão conhecidas na realização das duas etapas regionais do Sesi Descobrindo Talentos − Música em Caxias do Sul (sábado, Teatro do Sesi, às 18h) e em Estrela (domingo, no Lupus Land, às 17h). Na oportunidade participarão artistas trabalhadores, representando a indústria dos municípios de Farroupilha, Guaporé, Nova Prata, Caxias do Sul, Bento Gonçalves e de Estrela, Lajeado, Santa Maria, Santa Cruz do Sul e Montenegro.

Após o sucesso dos Clássicos do Rock, o Sesi Arte e Cultura promove dia 27 de setembro a cantata Carmina Burana. Cerca de 130 pessoas estarão no palco do Teatro do Sesi, a partir das 19h, com dois pianos, grupo de percussão, coro adulto, coro infantil, soprano, tenor, barítono, e um grupo de bailarinos, liderados pelo maestro Manfredo Schmiedt, com direção cênica de Victoria Milanez e coordenação geral da pianista Olinda Allessandrini. O tema central da ópera é a Roda da Fortuna, no sentido da dualidade Sorte-Azar, e das mudanças que se tem ao longo da vida.

Neste sábado (30), o Centro de Atividades de Gravataí (Av. Senador Nei Britto, 655) sedia mais uma etapa regional do Sesi Descobrindo Talentos − Música, a partir das 16h. Na oportunidade participarão artistas trabalhadores, representando a indústria dos municípios de Gravataí, Porto Alegre, Cachoeirinha, Canoas, Guaíba e Charqueadas.

Neste sábado (22), o Centro de Cultura de Esteio sedia a primeira etapa regional do Sesi Descobrindo Talentos − Música, a partir das 17h. Na oportunidade participarão artistas trabalhadores, representando a indústria dos municípios de Campo Bom, Igrejinha, São Leopoldo, Novo Hamburgo, Sapucaia do Sul, Sapiranga e Esteio.

As cinco obras destacadas no VI Salão Sesi de Artes Visuais do Trabalhador podem ser vistas, juntamente com as demais 37, até 25 de setembro na sede da FIERGS (Av. Assis Brasil, 8787). A exposição é resultado das etapas classificatórias municipais e regionais, do Projeto Sesi Descobrindo Talentos, realizadas em todo o Estado em 2008 e 2009. A iniciativa cultural do Sistema FIERGS, por meio do Sesi, vem possibilitando ao trabalhador da indústria, a seus familiares e à comunidade o acesso às vivências artístico-culturais.

Espetáculos serão apresentados no Teatro do Sesi

O Sistema FIERGS, por meio do Serviço Social da Indústria (Sesi-RS), promove no segundo semestre quatro eventos no Teatro do Sesi. O espetáculo Clássicos do Rock, pela Orquestra de Câmara da Ulbra, dia 23 de agosto abre o Sesi Arte e Cultura.

O projeto Sesi Crescendo com Arte apresentou dia 7 de julho a peça Pé de Pilão, no Teatro do Sesi. Com esta apresentação, que reuniu 2 mil crianças nos dois horários, este ano foi assistido por 7 mil pessoas. O espetáculo, com texto de Mario Quintana e direção de Mário Ballenti, tem um cenário simples e vistoso, baseado na técnica patchwork. Atores e bonecos alternam-se na cantoria e na narração, unindo a fantasia do teatro de bonecos com a magia do teatro infantil.

O projeto Sesi Crescendo com Arte a viaja para o Interior do Rio Grande do Sul para apresentar a peça O Filho que Amava a Mãe e a Mãe que Amava...no dia 7 de julho em Esteio, 17 de julho em Sapiranga e em agosto em Campo Bom. Os espetáculos apresentados pelo projeto fazem uma turnê no mês seguinte por algumas cidades do Estado.

O projeto Sesi Crescendo com Arte apresenta a peça Pé de Pilão, dia 7 de julho, no Teatro do Sesi. O espetáculo ocorre às 10h30min e às 15h. Com texto de Mario Quintana e direção de Mário Ballenti, a peça tem um cenário simples e vistoso, baseado na técnica patchwork. Atores e bonecos alternam-se na cantoria e na narração, unindo a fantasia do teatro de bonecos com a magia do teatro infantil. Os cinco atores-músicos contam e cantam a história do menino que virou pato e de sua avó enfeitiçada que perde o encanto, o de nunca envelhecer.